quarta-feira, 4 de julho de 2012

Perfil dos Chocolatiers que irão participar do Salon du Chocolat Bahia 2012!



 Arnaud Larher - França - www.arnaud-larher.com
Sempre em busca da perfeição dos sabores e texturas, Arnaud LArher começou sua carreira aos 21 anos na patisserie. Em 2007, depois de diversas outras honrarias, recebeu o título de Meilleur Ouvrier du France, título criado em 1924 e dado anualmente pelo governo francês para os melhores padeiros ou chefs franceses que se dedicam ao seu ofício de forma artesanal. Hoje, ostenta com orgulha a jaqueta branca com o colarinho nas tradicionais cores da França.
Suas criações já extrapolaram os limites franceses e hoje é possível encontrar seus produtos até mesmo em Tóquio. Macarrons, sobremesas, bolos, tabletes e bombons são produzidos a partir de matérias-primas de alta qualidade, como o cacau brasileiro, e em combinações inusitadas e únicas.


 Bernachon Chocolatier -França - www.bernachon.com
Tradicional família de chocolateiros da França, a Bernachon é reconhecida internacionalmente pela escolha da matéria-prima selecionada e pela torrefação perfeita das amêndoas. Já são três gerações dedicadas a essa verdadeira alquimia, buscando excelência em todas as fases do processo em sua fábrica instalada em Lyon, França.
Entre as especialidades da casa, está o le palet d'or, uma pequena delícia feita com chocolate amargo selecionado e creme de leite, decorado com folhas de ouro. Já as barras de chocolate reúnem mais de 30 variedades de cacau e combinações, como o Brésilien - feita com cacau brasileiro altamente selecionado – e o Kalouga – recheada com caramelo.
Philippe Bernachon, que hoje é o chocolatier responsável pela marca, comanda pessoalmente o stand no Salon du Chocolat Bahia.


Benoit Chocolat - França - www.chocolats-benoit.com
 Anne-Françoise é a chocolatier responsável pela marca criada em 1975 por seus pais. Ao longo dos anos, vem conquistando distinções diversas e hoje já está entre as 12 melhores chocolatiers da França. Entre suas especialidades estão os Caramandes, finas placas de amêndoas caramelizadas cobertas com chocolate, que se tornaram marca registrada da Benoit e estarão sendo comercializados durante o Salon du Chocolat Bahia 2012.  Estarão disponíveis ainda caixas de bombons finos e sua linha de miniaturas da Torre Eiffel, produzidos a partir de amêndoas de alta qualidade. Com a sua vinda ao Brasil, Anne-Françoise pretende conhecer de perto o cacau brasileiro, já utilizado nas suas criações e identificar novos fornecedores.


Bonnat Chocolatier – França - www.bonnat-chocolatier.com
 Com a máxima: “O que é bom para o paladar não faz mal para a alma”, a Bonnat Chocolatier foi fundada em 1884 por Félix Bonnat. Desde então, as gerações se sucedem à frente da marca, que hoje já está presente em 180 lojas em toda a França – sem que isso signifique perda da qualidade.
Todos os recheios são produzidos na própria fábrica, garantindo a uniformidade dos sabores, que ganham as particularidades dos blends de cacau de todo mundo. A cada ano, novos blends são formados, com novas notas, sabores e aromas. Entre suas criações estão os bombons Brazil (um recheio de praliné de amêndoas com café, coberto por chocolate) e o Bahia (com recheio de praliné de avelãs e amêndoas com café também coberto por chocolate).
No último dia do Salon du Chocolat Bahia (8/07), as versões tradicionais do ganache, do fondue de chocolate e do chocolate quente e frio serão apresentadas por Stéphane Bonnat durante a ChocoDemo em dois horários: 11hs e 12hs.


Demarquette Fine Chocolates - Inglaterra - www.demarquette.com
 O britânico Marc Demarquette é formado na prestigiada Maison Lenôtre, em Paris, e se preocupa com a origem da sua matéria-prima, escolhida com rigor e sob princípios de responsabilidade social e ambiental. O chocolateiro também encabeça campanhas pelo fim do trabalho infantil na cadeia do cacau – presente especialmente em países africanos – e prima pelo rastreamento total do processo produtivo das matérias-primas utilizadas. Para compor seus chocolates, usa, sempre que possível, produtos locais de pequenos produtores, evita o uso de aromatizantes artificiais e de açúcar tradicional - trocado por mel e açúcar de beterraba. Entre os bombons, recheios especiais como os de limão siciliano e pimenta rosa. Destaque para o Blanc Manger des Antilles, que mistura em seu recheio coco assado com noz moscada e canela e um pouco de rum das Antilhas e que ganhou o prêmio máximo da Academy os Chocolate Award em 2007. "Meus chocolates são derivados de pura paixão. Paixão pelo ofício artesanal tradicional e paixão pela perfeição do meu produto acabado”.
Marc Demarquette é um dos convidados para a ChocoDemo do Salon du Chocolat Bahia e apresenta, no dia 6 de julho, uma demonstração especial sobre o verdadeiro (e perfeito) mingau inglês.


Domori - Itália - http://www.domori.com
A marca italiana Domori, que inova em seus métodos de produção para retirar novas notas do sabor original do cacau, foi criada em 1994 e tem sua sede em Turim. Desde o início, vem investindo no cacau puro de origem, especialmente de fazendas da América Latina. A marca defende que a degustação dos melhores chocolates não é uma experiência apenas do paladar, como também do tato e do olfato. Para o Salon du CHocolat Bahia, a marca traz algumas das suas principais criações, sob a batuta do mestre chocolateiro Gianluca Franzoni. Na bagagem, tabletes da linha Single Origins na qual a origem das amêndoas ganha destaque em altas concentrações (70 e 100%). Os métodos de torrefação ajudam a valorizar as notas persistentes do caramelo presente no cacau do tipo Apurimac (Peru) ou de castanhas assadas nos tabletes produzidos a partir de cacau Arriba (Equador).
Fabrice Gillotte – França - www.fabrice-gillotte.fr
O francês Fabrice Gillote, um dos mais premiados chocolatiers franceses e com lojas na França e no Japão, caracteriza suas criações artesanais como tendo “sabores inéditos e alianças ousadas”. Tudo isso aliando técnica e matérias-primas diferenciadas pesquisadas em diversas partes do mundo, como Bali, por exemplo. Para o público do Salon du Chocolat Bahia, Gillote apresenta sua caixas Créations: um resumo de sua trajetória de sabores através de bombons como o Complexité (recheados com ganache de balsâmico de Módena, geleia de morango e coberto por chocolate) e o Lavande (recheado com um macio nougat com mel de lavanda em infusão) em uma clara referência à região da Provence. Os sabores passeiam ainda por clássicos como amêndoas, caramelo, laranja e chocolate puro de alto teor de cacau.


François Pralus – França - www.chocolats-pralus.com
Com lojas nos Estados Unidos, Europa e Japão, François Pralus é a segunda geração de uma família de renomados chefs franceses e considerado um dos três melhores do seu país. Seus chocolates gourmet utilizam matéria-prima tipicamente brasileira: parte do cacau utilizado por Pralus vêm das fazendas de Diego Badaró, instaladas no Sul da Bahia.  São mais de 40 receitas exclusivas, que começam com um inusitado método, no qual Pralus produz uma espécie de chá de cacau, a partir do qual consegue identificar de forma clara os sabores presentes nas amêndoas antes de iniciar a produção. Tanta dedicação faz com que a marca venda mais de 80 toneladas de chocolate por ano, sem que isso signifique abrir mão da qualidade e dos sabores únicos. Entre suas novidades, a expectativa por sua primeira colheita de cacau, em uma fazenda própria localizada em uma ilha a noroeste de Madagascar.


Jean-Paul Hévin - França - www.jphevin.com
 Suas caixas de bombons são produzidas diariamente e se dividem entre mais de 40 recheios nos quais se destacam os sabores de frutas, especiarias, caramelos e licores. Jean-Paul Hévin criou e comandou de perto também a expansão da marca, criada em 1988 e hoje está presente em mercados como Hong Kong, Japão e, claro, França. Para o Salon du Chocolat Bahia, o francês apresenta, entre outras delícias, o Palets d'été, chocolates produzidos a partir de cacau puro com notas de frutas como a banana e recheados com chá, doce de leite, leite de coco com flor de sal e coco, entre outros.


Rasmus Bo Bojesen - Dinamarca - www.bojesen.dk
Ansioso por conhecer o que considera o berço do cacau na América do Sul, Rasmus Bo Bojesen, aproveita a vinda ao Salon du CHocolat Bahia para apresentar seu chocolate Oialla com concentracão de 70% de cacau orgânico produzido a partir de amêndoas da Bolívia. Suas criações refletem sua trajetória como chef de cozinha, iniciada ainda na década de 1980, através da qual esteve em diversas partes do mundo, trabalhando com grandes nomes da gastronomia mundial. Já consagrado como chef, Bojesen descobriu a paixão pelo chocolate pelas mãos da família Bernachon, uma das mais tradicionais chocolateiras da França.


Oriol Balaguer – Espanha - www.oriolbalaguer.com
 Os doces despertaram a paixão em Oriol Balaguer desde cedo, influenciado pelo pai que era confeiteiro. Boa parte das criações do espanhol tem como referência estética a amêndoa do cacau. São 20 coleções de chocolate com recheios distintos como gin, soja, wasabi, castanha assada, gengibre, milho frito, açafrão e trufa. As delícias, em formato de uma amêndoa de cacau partida ao meio, estão disponíveis em suas lojas de Barcelona, Madri e Riyad (Arábia Saudita). Para o Salon du Chocolat Bahia, Balaguer traz bombons, barras e amêndoas confeitadas produzidas a partir de safras selecionadas de cacau. Ele também participa da ChocoDemo, no dia 08/07.


Pierre Marcolini Chocolatier – Bélgica - www.marcolini.be
 Anualmente, Pierre Marcolini viaja alguns dos principais países produtores de cacau em busca de matéria-prima exclusiva, produzida por pequenos produtores. O processamento leva em consideração as características de cada grão, analisados minuciosamente. Além de suas linhas regulares, Marcolini costuma lançar edições especiais, como as de verão, por exemplo,  nas quais as frutas ganham destaque em suas lojas instaladas em Bruxelas, Nova Iorque, Paris, Londres, Japão e no Oriente Médio. O uso de ingredientes incomuns, como pêra, maçã, melão, sândalo e carvalho, o coloca como um dos melhores chocolatiers do mundo.


Sadaharu Aoki – Paris - www.sadaharuaoki.com
Nascido em Tóquio, Sadaharu Aoki já adquiriu o savoir-faire francês, pois desde 1991 vive no país. Justamente por isso, utiliza em suas criações técnicas clássicos franceses mantendo suas raízes orientais: gengibre, chá verde e gergelim são ingredientes utilizados por ele em trufas, tablets e bombons. Para Aoki, simplicidade é a alma da chocolateria, o que torna esta arte ainda mais única: “eu gosto de coisas simples, mas elas são as mais difíceis de serem feitas”. Cada detalhe é lembrado e as barras de chocolate encantam a visão por suas cores fortes e surpreendentes que vão do verde ao laranja, dependendo do recheio.


Vincent Guerlais – França - www.vincentguerlais.com
 Desde criança, Vincent Guerlais tinha um gosto especial por doces e, por isso, começou sua formação cedo, aos 14 anos. Aos 22 anos, abriu sua primeira loja ao lado da esposa, Karen. Bolos, doces, macarons, trufas e chocolates especiais são criados a partir de matérias-primas especiais e delicadas. Entre suas criações está o P’tit Beurre, que é a versão em chocolate do tradicional biscoito francês, recheado com creme de avelã e biscoito. Esta é uma delícias que serão trazidas por Guerlais para o Salon du Chocolat Bahia, bem como caixas de chocolate variadas e tabletes recheado com avelãs e gianduias e caramelo levemente salgado. “Nossa receita: oferecer um produto que desperta os sentidos!”, diz ele. Vincent Guerlais é um dos chocolatiers internacionais que irá participar da ChocoDemo, durante o Salon du Chocolat Bahia.


Sébastien Bouillet – França - www.chocolatier-bouillet.com
 Sua primeira loja foi aberta em Lyon, na França, e hoje a marca está presente também no Mercado japonês. Através de viagens, nos quais busca criar relações próximas com produtores de cacau e fornecedores de matérias-primas, seus produtos obedecem, nas próprias palavras de Sébastien Bouillet, às leis da emoção, paixão, pesquisa e autenticidade




Um comentário:

  1. interessante os perfis de cada um!
    Abracos,
    Natalia

    ResponderExcluir