quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Chapada Diamantina II - Igatu

 

 

 

Chegar a Igatu é uma verdadeira e maravilhosa aventura!!! Quase chegando em Mucugê, na região de Andaraí, você vai ver uma placa sinalizando a entrada, uma entrada de terra. Daí você vai dirigir por alguns kilometros até encontrar a primeira íngreme descida, e então você desce, desce, até o encontro das montanhas lá embaixo...

 


Lá embaixo as pedras começam a aparecer por todos os lados...O calçamento das ruas são de imensas pedras e os muros também...Bem vindo a Igatu! A palavra Igatu significa água boa, na língua indígena.


Chegando ao centro você encontra uma cidadezinha limpíssima e toda pintadinha, como casinhas de presépio...Um aconchego ao coração...


 

 Do outro lado da praça mais casinhas coloridas....




E entrando em uma das ruas ali mesmo perto do centro, você vai encontrar mais pedras...Ruas de pedras, muros, igreja de pedras...



Ao lado da Igreja existe um cemitério Bizantino com todos os túmulos pintados de um branquinho alvo feito algodão...



A igreja...Imponente na sua simplicidade. Perfeita.



 

Vista do caminho, em frente à igreja, que acabamos de percorrer... 

 


Daí em diante entramos em um caminho estreito, de pedras, claro, até onde ficam as antigas ruínas das casas dos garimpeiros.

 

 

Uma casinha simples no caminho....

 


Alguns metros depois... uma casona linda e bem cuidada, para nossa surpresa!!!


E a surpresa não parou por aí... Ao lado da casa encontramos uma porta de vidro onde se lê: Galeria Arte e Mamória!! Galeria?!!!

 



E entramos percorrendo os jardins, com uma escultura aqui, outra ali e...A Galeria do artista Marcos Zacariades!!! Uma galeria muito bem cuidada, com uma exposição de uma artista argentina, a Gabriela Lavezzari!! Nossa, que bela surpresa!!



Gente, ao lado da Galeria tem um Café! É, um Café!!! O lugar é todo arrumado, com mesinhas, banheiros e internet no escritório! Servem espresso, cappuccino e sequilhos maravilhosos!! Não acreditei no que estava vendo! Parecia que eu estava na Europa!!



Depois das surpresas e do café, continuamos o caminho, descendo mais um pouco até as ruínas...



Do lado direito podemos ver algumas ruínas das antigas casas....



Lá embaixo no vale se pode ver o rio onde era feito o garimpo... 

 



Voltando deste passeio, estávamos com fome e nos indicaram este restaurante! Água Boa. Nossa! Mais uma agradável surpresa!! O lugar simples estava limpíssimo! Vimos o cardápio, chequei o banheiro! Lipíssimo! Ficamos. E nos deliciamos com uma comida simples e saborosíssima!!



A toalha estava alvíssima! A alface é cultivada nos fundos da casa com água boa que vem da nascente que fica nas montanhas perto da casa, e retirada na hora de servir, disse o Neu com muito orgulho...Um luxo!



Saí da cidade com um alento no peito! Esse Brasil tem jeito! Estamos descobrindo o caminho aos poucos, brotando das pedras!!!


Um comentário:

  1. Marcília,
    Parabéns pelo seu blog.
    Sou mãe de Tânia Nogueira Reis e tb amiga de Myrian.
    Fiquei encantadacom suas fotos.
    Bjs,
    Shirley Alves

    ResponderExcluir